Variação Linguística — Você sabe o que é ? Descubra agora.

Variação Linguística

O que é a variação linguística? Esta dúvida não pode surgir na hora da sua prova. Confira nosso texto e fique por dentro do assunto.

Variação Linguística. Este é um tema que como dizem deve estar na ponta da linguá para aqueles que vão concorrer a uma vaga do Enem ou Vestibular. E por este motivo, decidimos montar este texto para auxiliá-los neste assunto afim de que não fique nenhuma dúvida. Vamos começar ?

Quer conferir o conteúdo de variação linguística em vídeo ? Acesse nosso canal agora mesmo.

Pode-se dizer que Variação Linguística é o modo pelo qual a língua se diferencia dentro do seu próprio sistema. Esta diferença pode ser histórica, geográfica ou sociocultural. Vemos que a língua não é única, que o sistema linguístico abriga diversos ângulos na realização linguística. Observamos a diferenças na fala que se relacionam à idade, à região do país, à cultura e até mesmo ao estilo. Se prestarmos bastante atenção, perceberemos que a variação acontece nos mais variados segmentos da língua, como o fonético, o sintático, o léxico, o semântico etc. Tudo isso também configura a evolução da língua, o seu desenvolvimento e sua adaptação através do tempo e das mudanças sociais.

A área de estudo que busca entender e descrever as diferentes manifestações linguísticas em um mesmo idioma chama-se sociolinguística. O pesquisador dessa área busca verificar entre os falantes de determinadas línguas diferenças nos modos de falar de acordo com quatro níveis:

O nível diatópico

Se relaciona com o lugar onde o falante reside, ou seja, a variação diatópica é a variação regional. Um exemplo desse tipo seria a palavra mandioca. Em certas regiões do Brasil a mandioca é chamada de macaxeira ou aipim. Os sotaques também entram nesse tópico, como variação regional.

O nível diafásico

Relaciona-se com o contexto comunicativo, ou seja, a ocasião é que será determinante para a escolha do modo de falar. Vemos, por exemplo as diferenças entre um texto escrito e um bate-papo informal entre colegas.

O nível diastrático

Este acontece devido à convivência entre os grupos sociais. As gírias estão relacionadas a este tipo de variação linguística. Tudo é social e se relaciona com um determinado grupo de pessoas, como por exemplo, os surfistas, funkeiros, jornalistas, etc.

O nível histórico ou diacrônico

São variações ocorridas em períodos históricos distintos. Por exemplo, a palavra ‘embora’ dizia-se ‘em boa hora’ no século XIX, no século seguinte permanece embora e mais atualmente podemos ver a palavra reduzida em forma de ‘bora’.

Agora que você já viu a parte teórica deste assunto, que tal conferir algumas questões. Vem com a gente!

Exercícios Variação Linguística

 

1.

“Todas as variedades linguísticas são estruturadas e correspondem a sistemas e subsistemas adequados às necessidades de seus usuários. Mas o fato de estar a língua fortemente ligada à estrutura social e aos sistemas de valores da sociedade conduz a uma avaliação distinta das características das suas diversas modalidades regionais, sociais e estilísticas. A língua padrão, por exemplo, embora seja uma entre as muitas variedades de um idioma, é sempre a mais prestigiosa, porque atua como modelo, como norma, como ideal linguístico de uma comunidade. Do valor normativo decorre a sua função coercitiva sobre as outras variedades, com o que se torna uma ponderável força contrária à variação.”

Celso Cunha. Nova gramática do português contemporâneo. Adaptado.

A partir da leitura do texto, podemos inferir que uma língua é:

a) conjunto de variedades linguísticas, dentre as quais uma alcança maior valor social e passa a ser considerada exemplar.
b) sistema que não admite nenhum tipo de variação linguística, sob pena de empobrecimento do léxico.
c) a modalidade oral alcança maior prestígio social, pois é o resultado das adaptações linguísticas produzidas pelos falantes.
d) A língua padrão deve ser preservada na modalidade oral e escrita, pois toda modificação é prejudicial a um sistema linguístico.

2.

Questão 106 – Enem 2013 (Variações linguísticas no Enem)

Até quando?

Não adianta olhar pro céu

Com muita fé e pouca luta

Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer

E muita greve, você pode, você deve, pode crer

Não adianta olhar pro chão

Virar a cara pra não ver

Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus

Sofreu não quer dizer que você tenha que sofrer!

GABRIEL, O PENSADOR. Seja você mesmo (mas não seja sempre o mesmo).
Rio de Janeiro: Sony Music, 2001 (fragmento).

As escolhas linguísticas feitas pelo autor conferem ao texto

a) caráter atual, pelo uso de linguagem própria da internet.
b) cunho apelativo, pela predominância de imagens metafóricas.
c) tom de diálogo, pela recorrência de gírias.
d) espontaneidade, pelo uso da linguagem coloquial.
e) originalidade, pela concisão da linguagem.

Gabarito

1. Letra a
2. Letra d

Estas são somente algumas questões das inúmeras que podem ser cobradas em sua prova. Para resolver mais destas, acesse nosso banco de questões e fique craque no assunto de Variação Linguística.