O que é TRI e como ela interfere na sua nota no Enem

O que é TRI

O que é TRI:  Esta é uma informação super importante para sua prova e você nem se da conta. Entenda mais sobre o assunto neste conteúdo.

O que é TRI ? Se há uma questão que apavora quem já fez a prova do ENEM é a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Para muitos ela parece trazer prejuízos, mas na verdade ela pode ser fundamental para que você garanta uma grande nota no Enem.

Confira também o vídeo referente a este conteúdo

Vamos entender o que é TRI e tudo que está atrelado a ela, ou seja, o motivo do seu uso, seu funcionamento na prática e como ela pode trazer benefícios para você no Enem.

O que é TRI?

Teoria de Resposta ao Item ou simplesmente TRI, é o algoritmo utilizado pelo Enem para a correção e aplicação de notas às questões da prova. Por meio dela, é possível trazer legitimidade à prova e aos conhecimentos dos alunos que realizam o Enem.

Como a Teoria de Resposta ao Item funciona?

A prova do Enem possui 180 questões dividas em três níveis: fácil, médio e difícil. Dessa forma facilita o funcionamento da TRI, a qual é capaz de traçar um parâmetro através da análise do padrão de respostas de cada candidato.Em outras palavras é dizer que a TRI, verifica as questões que o candidato acertou porque realmente sabia a resposta e assim recebe a pontuação máxima ou apenas chutou, e não ganhou a pontuação total.

A TRI, portanto identifica a atuação de cada candidato que realiza a prova do Enem. Assim, sendo, o seu funcionamento é de suma importância para que a nota final não esteja apenas relacionada à quantidade de acertos do candidato, mas também ao nível de dificuldade de cada questão que ele acertou ou errou.

Agora, você deve estar pensando em uma maneira para saber o nível de dificuldade de cada questão durante a realização da prova, mas isso não é possível. Entenda o motivo!

Como funciona a lógica para definir o nível de dificuldade?

A banca do Enem está responsável por definir o nível de dificuldade no momento da correção dos cartões-resposta. Durante esse procedimento, a banca irá analisar as questões que obtiveram o maior número de acertos, as quais entram para o grupo do nível fácil e recebem valor baixo. Por outro lado, as questões com menor número de acertos entram para o grupo das mais difíceis, logo tem uma pontuação mais alta. As questões de nível médio podem ter 50% de acerto e de erro; a pontuação então será entre os valores da mais baixa e da mais alta. Assim, somente a banca pode definir o nível de dificuldade. Não há como o candidato saber na hora da prova.

Por que o Enem faz uso da TRI?

O Enem faz uso da TRI para facilitar o processo de correção das provas, uma vez que, a prova é feita por um número muito grande de pessoas e os critérios para desempatar as notas dos candidatos seria uma tarefa demorada e complexa. Além disso, o uso da TRI apresenta preocupação em relação à qualidade dos conhecimentos cobrados; é dizer que o candidato deve acertar uma determinada questão por que realmente tem conhecimento sobre ela e não por casualidade, em que uma opção qualquer é escolhida e no chute o candidato acaba acertando.

Veja como fazer uso da TRI no Enem para benefício próprio?

É sabido que para garantir uma boa pontuação na prova do Enem, você precisar acertar o maior número de questões que conseguir. Porém, você pode criar uma estratégia baseada na TRI. E, isso pode ser feito pensando em acertar na hora da prova as questões que possam ser as mais complexas; que valem mais pontos e não errar as mais fáceis. Busque, portanto fazer isso para que o algoritmo entenda que você acertou as mais difíceis por que você sabia de fato as respostas corretas e não porque chutou simplesmente.

Vale ressaltar, que você pode encontrar por aí certos mitos sobre como driblar a TRI, como por exemplo, tentar adivinhar o nível das questões da prova ou deixar questões em branco, mas não vá por esses caminhos.
Como já foi dito aqui, não há como saber o nível de cada questão do Enem, uma vez que esses níveis são definidos apenas pela banca de correção e somente após o término do Exame.

Tentar fazer isso só vai trazer perda de tempo para você que vai realizar a prova. Além disso, deixar questões em branco não é uma boa escolha, já que é melhor que o algoritmo entenda que você acertou alguma questão difícil porque chutou, do que nem ao menos poder avaliar o motivo pelo qual você obteve um acerto. Deixar questões em branco diminui a sua chance de pontuação, seja ela qual for.

Viu como funciona a TRI? Ela está aí para facilitar todo o processo do Enem. Lembre- se, portanto que o mais importante é você estudar com afinco para as provas para garantir o seu sucesso!