Educação no Brasil: Um tema de atualidades que pode cair na sua prova.

Educação no Brasil

Educação no Brasil: Fique por dentro de todas as informações a respeito do assunto, pois este pode ser um tema de Redação.

Este ano, quando o governo brasileiro começou a anunciar mudanças em diversos segmentos de seu portfólio, a Educação do Brasil recebeu atenção. Uma das primeiras ações foi o estabelecimento de uma secretaria para promover o estabelecimento de escolas militares em todo o país. Posteriormente, o governo expressou sua intenção de encerrar cursos de ciências humanas, como filosofia e sociologia.

Em abril de 2019, foi anunciado um projeto de lei regulando a educação familiar. Isso provocou reação de alguns educadores, alegando que isso prejudicaria a socialização das crianças que não estão na escola.

Da mesma forma, em maio de 2019, o Ministro da Educação Abraham Weintraub (Abraham Weintraub) anunciou uma resposta de emergência a 30% do financiamento da universidade pública. A medida despertou não apenas estudantes universitários, mas também uma série de críticas e protestos de escolas públicas e privadas.

Mas para tratarmos de atualidades em um possível tema de Redação, nós devemos saber sobre edução de modo geral desde o principío! Vamos lá ?

A educação no Brasil começou com a chegada dos portugueses, quando os padres desempenhavam o papel de missionários e professores dos índios. Portanto, o início da história marcou a relação estabelecida entre religião e alfabetização até que os jesuítas foram expulsos do país em 1759. Só muitos anos depois, a responsabilidade da educação recaiu sobre o país. Mas o professor não está pronto para ensinar

Os professores tornaram-se pessoas que apenas recebem alguma orientação. A maioria deles são pastores. A democratização da educação finalmente entrou em ação em 1920. Anísio Teixeira tem desempenhado um papel importante na eliminação das restrições à educação para as minorias e na relação entre educação e religião.

Contexto da Educação no Brasil

Brasil Colonial

O inicio da Educação no Brasil por muitas vezes pode surgir como dúvida para os estudantes, porém são fatos como este que acabam fazendo a diferença na hora da sua prova. Pode-se dizer que tudo começou no ano de 1549, quando o padre Manuel da Nóbrega chegou ao país. Naquela época, a alfabetização é limitada aos meninos, que aprenderam a ler e escrever e se converteram ao cristianismo.

O principal objetivo dos jesuítas era espalhar doutrinas religiosas para seus alunos, e eles esperavam que eles obedecessem plenamente.

Em 1759, o Marquês de Pompéia expulsou os jesuítas e impôs novas regras. A educação passa a ser propriedade do Estado.

Em 1760, embora não houvesse formação especial de professores, ainda havia um concurso para professores. O fato de não haver treinamento significa que muitos pastores se tornaram professores, o que mantém a distância entre religião e educação. Mas 14 anos depois (ou seja, 1774) começaram oficialmente as aulas. Durante esse enorme intervalo de tempo, a professora particular ensina os filhos da família que têm possibilidades financeiras. Os professores têm um título aristocrático e também são isentos de impostos. No entanto, eles não receberam uma compensação adequada. Essas aulas são chamadas de classes reais ou também conhecidas como aulas régias, mas após a renúncia do Marquês de Pomba D. Maria, mudei o nome para classes públicas.

Brasil Império

Bom, agora que passamos pelo Brasil Colônia, é hora de entrarmos no Brasil império. No período imperial, era muito difícil competir por meio de professores. O país precisa de aumentar o pessoal docente.O país recrutou professores não qualificados, mas o salário é baixo.

Porém, embora o salário não seja compensado, essa dificuldade é garantida pelas condições de vida. Não foi até 1835 que as primeiras escolas normais apareceram. No entanto, os valores morais e religiosos são os mais valiosos, ainda mais valiosos do que o conhecimento possuído pelo professor.

A maioria das pessoas não percebe a importância da educação. Por esse motivo, os pais não seguiram as recomendações da reforma para permitir que seus filhos frequentassem a escola aos 5 anos de idade, ou abandonaram a escola depois de serem alfabetizados.

Brasil República

Benjamin Constant organizou uma reforma educacional que levava em consideração a divisão de grupos de idade e grupos de idade. Foi nessa época que apareceu o diretor da escola, cargo que era ocupado por homens.

O estado pressionou os professores a cumprir os planos escolares em vez de reprovar os alunos, o que gerou gastos excessivos e evasão.

Entre outros educadores, Anísio Teixeira é um dos pioneiros em novos métodos de ensino. Elimina restrições educacionais e atitudes religiosas para com as elites. Em 1939, foi criado o curso de pedagogia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas).

Paulo Freire é um dos maiores educadores do mundo e propôs obras de educação popular. Em 1971, a escolaridade obrigatória começou nas escolas primárias, ginásios e universidades até aos 14 anos.

Alfabetização na Atualidade

Agora que vocês já conheceram toda a história sobre a educação, temos que falar sobre o que estamos passando atualmente. Por muito tempo, a instabilidade da educação foi um dos nossos problemas sociais. Isso ocorre porque algumas crianças ainda não podem receber educação formal, ou as escolas que frequentam estão superlotadas e quase sem condições. Como resultado, essas crianças têm menos oportunidades. Um dos maiores problemas é que, embora o Brasil invista mais em educação do que alguns países desenvolvidos, o Brasil não tem feito investimentos adequados em educação. Além de questões financeiras, por exemplo, a transferência de fundos.

Além dessas questões, a formação de professores também é muito importante. O fato é que alguns professores estão ministrando disciplinas que não receberam formação e raramente são incentivados em termos de remuneração.

Por fim, entre as situações que exigem mais atenção estão a reforma do ensino médio, a Fundação Nacional do Currículo Comum (BNCC) e a crise do ensino superior.

Dados sobre Alfabetização

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2007 e 2014, a taxa de analfabetismo diminuiu, enquanto a escolaridade das crianças de 6 a 14 anos aumentou. O nível de educação do Brasil também melhorou no mesmo período.

No entanto, de acordo com os dados de 2011 disponibilizados pelo Instituto Paulo Montenegro, quando aprofundamos esta questão, nos deparamos com a seguinte realidade: -27% dos brasileiros são analfabetos funcionais (sabem ler, mas não entendem o significado do que lêem) -4% dos alunos do ensino superior são considerados analfabetos

Além deste tema, ainda temos uma série de conteúdos que você pode dar uma olhada, mas o que recomendamos que também poderá lhe ajudar na hora de atualidades é o assunto de Classes Sociais

Contem conosco rumo a sua aprovação!