03/04/2017 - Notícias

O problema do lixo no Brasil - Atualidades Enem e Vestibular

Saiba mais sobre O problema do lixo no Brasil no nosso resumo de Atualidades Enem e Vestibular




O aumento significativo da população nas cidades brasileiras geram vários problemas ambientais, sendo um deles o lixo urbado. Este lixo pode ser de origem domiciliar como sobras de alimentos, papéis, plásticos, vidros e papelão; de origem industrial que apresenta composição variada entre gasosa, líquida ou sólida; lixo hospitalar como seringas, agulhas, fazes, ataduras, peças atômicas; e o lixo tecnológico como pilhas e aparelhos eletrônicos em geral. Um dos maiores problemas urbanos é o lixo sólido, devido à sociedade do consumo.

A acumulação de dejetos nesses centros não possuem um lugar específico e nem um tratamento adequado, e isso tende a aumentar quando uma população cresce e eleva o consumo. O consumo nos dias atuais significa produção de lixo. Em média cada pessoa produz entre 800g a 1kg de lixo diariamente, ou de 4 a 6 litros de dejetos. Ou seja, por dia são gerados 15.000 toneladas de lixo, o que corresponde a 3.750 caminhões carregados de dejetos.

Há 40 anos atrás, a quantidade de lixo gerada era inferior a atual, hoje a globalização e as inovações tecnológicas facilitaram a dispersão dos mercados em nível mundial e o modelo de desenvolvimento das cidades está vinculada ao incentivo de consumo. Antes da primeira revolução industrial, o lixo produzido nas residências eram basicamente orgânicas, sendo fácil de ser eliminada, além das cidades e a quantidade da população serem menores.

O aumento da população nos centros urbanos, na metade do século XX, desencadeou o aumento na quantidade de lixo e a industrialização fez com que esses dejetos possuissem variedades em suas composições. Atualmente o produto que compramos no mercado não gera apenas o lixo do produto, pois existe as etapas de produção como o cultivo, extração, transporte e energia.

As cidades contam com serviços de coleta de lixo, sendo os mais comuns os lixões e os aterros sanitários. Geralmente são localizados em áreas afastadas das partes centrais do município ou até mesmo em locais inapropriados, como nas encostas de rios e córregos. O lixo acumulado produz um líquido chamado chorume, que possui coloração escura e cheiro desagradável. Essa substância atinge as águas subterrâneas, como aquíferos e lençóis freáticos e a contaminação dos solos e das pessoas que mantém contato com esse material. Muitas vezes pessoas de baixa renda buscam nesses locais alimentos ou materiaria para vender como papéis, plásticos, latas e outros.

Para retratar os problemas ambientais e sociais existem vários tipos de depósitos de lixo pelas cidades, são eles:

- Os lixões são depósitos a céu aberto onde os dejetos são jogados em locais impróprios, sem nenhuma preparação para evitar os danos que o lixo pode causar. Mas que são institucionais, ou seja, autorizados paelas prefeituras. No Brasil, de acordo com pesquisa de saneamento ambiental do IBGE nos anos 2000, mais de 40% dos municípios depositam seus lixos em lixões. Esse ambiente também atrai pessoas desempregadas e de baixa renda para sobreviver dos materias coletados para serem vendidos

- Aterros sanitários são a melhor opção para o lixo que não pode ser reaproveitado ou reciclado, pois é um terreno que trata o lixo para ser compactado e enterrado, com o objetivo de proteger o solo, água e ar.

- Depósitos clandestinos são os locais onde alguém ou uma empresa deposita o seu lixo em locais inapropriados, representando uma ameaça para saúde pública. Essa prática deve ser denunciado ao órgão responsável pelo controle ambiental do seu estado ou município.

- Incineradores são grandes fornos onde o lixo sofre uma queima controlada com filtros para evitar gases que atinjam e poluam a atmosfera. A vantagem é que eles reduzem o volume do lixo em até 85%, mas produz uma sobra de cinzas e dejetos de 15% que precisam ser levados necessariamente para um aterro sanitário. São a forma mais indicada para tratarem certos tipos de lixo como os hospitalares e os resíduos tóxicos industriais.

Os incinerados tem alto custo de implantação, manutenção e operação, além da segurança dos sistemas de filtragem, pois há evidências de que pequenas falhas podem liberar gases altamente tóxicos, capazes de gerar câncer. Muitos dos países desenvolvidos fecharam seus incinerados pelos problemas ambientais causados, como por exemplo na América do Norte e na Europa.

Notícias relacionadas

#EstudeParaOEnem
Aula grátis
Material em PDF + Videoaulas
Sua matrícula expira em:
icone relogio 00 00 00